segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Vice-diretores do IG visitam Museu Florestal do IF na entrega da restauração do painel que representa a chegada de Martin Afonso no litoral de São Vicente


Na última sexta-feira, dia 30 de novembro de 2018, os Diretores Substitutos do IG, Rosangela do Amaral e Renato Tavares, estiveram presentes na cerimônia de entrega da obra restaurada do artista Helios Seelinger, no Museu Florestal do Octávio Vecchi, no Horto Florestal, em São Paulo/SP.

O painel em óleo sobre tela que representa a chegada de Martin Afonso no litoral de São Vicente compõe um tríptico com outras duas telas que representam episódios da história de São Paulo. O trabalho é resultado de parceria entre o Instituto Florestal (IF), o Museu de Arte Sacra de São Paulo (MAS) e o Núcleo de Artes Conservação e Restauração (NAR), do Rio de Janeiro.

Também estiveram presentes no evento o secretario estadual do Meio Ambiente, Eduardo Trani, o diretor geral do Instituto Florestal, Luís Alberto Bucci, e o coronel Cássio de Almeida, representando o comando da Polícia Ambiental.


sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

10 anos do Seminário Estratégias para Redução de Riscos e Desastres no Estado de São Paulo

 Assinatura do Acordo de Cooperação Técnica IG-CEPDEC
  Público presente
Credenciamento

No dia 06 de dezembro de 2018 foi realizada a décima edição do Seminário: “Estratégias para Redução de Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos do Estado de São Paulo”.

Organizado pela Secretaria do Meio Ambiente e pela Secretaria da Casa Militar, por meio do Instituto Geológico (IG) e Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEPDEC), o evento ocorre anualmente desde 2009 e tem sido um fórum significativo na avaliação de estratégias e ações de redução de risco e desastres em níveis local, estadual e regional, divulgação das atividades do Programa do Estado de São Paulo de Prevenção de Desastres Naturais e de Redução de Riscos Geológicos (PDN). Nestes 10 anos, o seminário abordou temas de avaliação e mapeamento de risco, estratégias para evitar, reduzir, mitigar e erradicar o risco, monitoramento e sistemas de informações e formas de capacitação e disseminação de agenda propositiva de gestão de risco de desastres dentro das políticas públicas.

Participaram da cerimônia de abertura Eduardo Trani, secretário estadual do Meio Ambiente; Major PM Marcos de Paula Barreto, Diretor da Divisão de Proteção da CEPDEC (representando a secretária-chefe da Casa Militar e Coordenadora Estadual da Defesa Civil, Coronel PM Helena dos Santos Reis) e Luciana Martin Rodrigues Ferreira, Diretora Geral do IG.

Durante a cerimônia foi assinado Acordo de Cooperação Técnica entre o IG e a CEPDEC, visando à prestação de apoio técnico, assessoria e atendimento emergencial em situações de riscos geológico-geotécnicos em áreas abrangidas por planos preventivos de contingência de defesa civil.

Nesta 10ª edição contou com o lançamento da coleção de “Símbolos de Processos Perigosos e Desastres”, elaborado pelo Núcleo de Publicações e Divulgação em Geociências e o anúncio da assinatura do contrato para avaliação e mapeamento de risco (escalas regional e local) de parte da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP – trechos norte/ oeste/ sudoeste/ sudeste) e do Litoral Norte.

Participaram do seminário cerca de 150 pessoas, entre servidores públicos municipais e estaduais, comunidade acadêmica, sociedade civil organizada e setor empresarial envolvidos na melhoria da gestão de risco de desastres.

As apresentações enfatizaram temas como: a importância da gestão de risco para o desenvolvimento econômico e social sustentáveis; a abertura do esporão arenoso da Enseada da Baleia (Ilha do Cardoso): um exemplo de gestão de risco costeiro e atualização do Sistema Gerenciador de Informações sobre Riscos do IG.

No período da tarde, as discussões discorreram sobre a Aplicação da tecnologia InSAR (interferometria por radar de abertura sintética) na análise da deformação de terrenos e gestão de risco; conhecimento e gestão comunitária de risco a serviço da sustentabilidade: exemplos de Medellín (Colômbia) e Vila Nova Esperança (São Paulo); Vila Nova Esperança, resistindo com sustentabilidade; e gestão de redução de risco de desastres (GRRD): desafios na construção de uma estratégia de extensão acadêmica.

Os organizadores esperam que as instituições participantes estabeleçam uma agenda de trabalho e de aprofundamento dos temas do evento, em especial, a melhoria e compartilhamento de cadastro de eventos e danos, o entendimento de conceitos e métodos de mapeamento de risco e suas relações com as mudanças climáticas, em busca do fortalecimento dos vínculos institucionais e da melhoria da gestão de risco de desastres nos próximos anos.

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Santos sedia evento de 30 anos da Criação do PPDC e Lançamento da Operação Verão 2018/2019

Luciana, Bandini, Sandra, Julian, Cassandra e Vedovello 

No dia 30 de novembro de 2018, o Plano Preventivo de Defesa Civil fez 30 anos de atuação no Estado de São Paulo. A data foi comemorada em Santos onde tudo começou. No Estado de São Paulo, as atividades de identificar, avaliar e gerenciar áreas de riscos geológicos tiveram início de forma mais significativa com uma iniciativa do Governador Quércia depois de um evento muito traumático, de grande escala e graves consequências acontecidos no verão de 1987-1988, na região da Serra do Mar, principalmente devido à ocorrência de vítimas fatais nas cidades de Cubatão e Ubatuba.

Esta história foi contada no evento ocorrido na Associação Comercial de Santos, coordenado pela Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil do Estado em conjunto com a Coordenadoria Regional de Proteção e Defesa Civil da Baixada Santista, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT) e o Instituto Geológico (IG/SMA), órgãos responsáveis pelo plano preventivo. Estiveram presentes autoridades como a Secretária Chefe da Casa Militar e Coordenadora Estadual de Proteção e Defesa Civil de São Paulo, Cel. PM Helena dos Santos Reis, o vice-prefeito de Santos, Sandoval Soares, a Coordenadora Regional de Proteção e Defesa Civil de Santos, Dra. Regina Elsa Araújo, o Pesquisador Agostinho Tadashi Ogura, do Instituto de Pesquisas Tecnológicas e a Diretora do Instituto Geológico, Dra. Luciana Martin Rodrigues. Os senhores Leandro Eugênio Cerri, funcionário do IPT à época e Julian Garcia Alves de Almeida e Cassandra Maroni Nunes, antigos funcionários do IG, além de representantes das antigas comissões municipais de defesa civil foram homenageados pela participação nos primórdios do PPDC, por meio da entrega de medalhas e diplomas.

Após as homenagens foram realizadas, ao longo do dia, palestras pelos personagens atuantes nestes 30 anos descrevendo a evolução do PPDC que começou abrangendo oito 8 municípios e atualmente atinge 175 municípios. A pesquisadora Dra. Célia Regina de Gouveia Souza em sua apresentação – “Base Técnico Científica para Elaboração e Implementação do PPDC de Ressaca: Um Novo Instrumento Baseado na Experiência do PPDC” – levantou sugestões para melhorar os planos preventivos, bem como o debate sobre as mudanças climáticas. A apresentação da Dra. Lídia Keiko Tominaga – “Analise do Desenvolvimento e Evolução do PPDC em 30 anos” – contou a atuação do Instituto Geológico e discutiu os principais indicadores estatísticos gerados pelo PPDC.

O lançamento do Plano Verão 2018/2019, coloca em ação, a partir de 01 de dezembro, as entidades participantes do plano preventivo para o atendimento aos eventos naturais que possam causar danos e colocar em risco a sociedade. Esta operação é realizada no período de 01 de dezembro e 31 de março.

Evento

No próximo dia 06 será realizado o X Seminário: “Estratégias para Redução de Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo”. CLIQUE AQUI para saber mais sobre o evento.

IG e CEPDEC finalizam etapa de cursos preparatórios para o início da Operação Verão 2017/2018 nos municípios que operam o Plano Preventivo de Defesa Civil

Geólogo Dr. Jair Santoro durante o curso

A Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEPDEC) finalizou as oficinas preparatórias para as atividades voltadas para a Operação Verão 2017/2018. Participaram das oficinas além da CEPDEC, o Instituto Geológico (IG) e a empresa SOMAR meteorologia.

As oficinas preparatórias ocorreram nos meses de outubro e novembro e visaram o treinamento dos municípios que operam os Planos Preventivos de Defesa Civil (PPDC). O PPDC tem como objetivo o monitoramento das áreas de risco a escorregamentos e visa a remoção preventiva dos moradores que ocupam estas áreas.

A última região do Estado a receber a oficina foi a REDEC Itapeva e a oficina foi realizada no município nos dias 29 e 30 de novembro onde o Geólogo Dr. Jair Santoro ministrou sobre aspectos dos riscos geológicos e noções sobre procedimentos e reconhecimento de situações potencialmente perigosas aos escorregamentos de encostas e ações preventivas e capacitou em torno de 100 participantes a entender e preencher a ficha de vistoria de campo. Veja abaixo onde e quando ocorreram as Oficinas:

30 e 31 de outubro, Registro;

06 a 09 de novembro, Campinas;

13 e 14 de novembro, Santos;

13 e 14 de novembro, São José dos Campos e Litoral Norte;

27 e 11 de novembro, Região Metropolitana de São Paulo e

28 a 30 de novembro, Sorocaba.

As Oficinas Preparatórias para a Operação Verão (OPOVs) foram ministradas sempre com 2 dias de curso, no primeiro com aulas teóricas e no segundo aulas práticas, que envolvem preenchimento de ficha de vistoria de campo, leitura de pluviômetros e simulado de mesa para a operação do Plano. As OPOVs foram muito bem recebidas e avaliadas positivamente pelos participantes e contaram com uma média de público de 150 pessoas.

Este é o 30º ano de operação do PPDC e a Operação Verão 2017/2018 tem o seu início em 1º de dezembro de 2018 e vigência até 31 de março de 2019, podendo ou não ser prorrogado. Neste período, equipes técnicas do IG permanecerão em regime de plantão (24 horas por dia, 7 dias por semana) para eventuais situações de emergência e que necessitem de vistorias técnicas.

Atualmente são monitorados, por meio do PPDC, 175 municípios e o Plano está estruturado em níveis operacionais – OBSERVAÇÃO, ATENÇÃO, ALERTA e ALERTA MÁXIMO – e para cada nível operacional existem as ações correspondentes. Está baseado em um tripé técnico, que inclui:

o acompanhamento das chuvas de cada município, com a leitura diária do acumulado de chuvas de 24 horas, e o cálculo do acumulado de chuvas de 3 dias;

o acompanhamento das previsões meteorológicas;

e a realização de vistorias de campo, quando o nível operacional entra em ATENÇÃO.

Evento

No próximo dia 06 será realizado o X Seminário: “Estratégias para Redução de Riscos e Desastres a Eventos Geodinâmicos no Estado de São Paulo”. CLIQUE AQUI para saber mais sobre o evento.

Seleção de Jovens Pesquisadores para o Instituto Geológico

 Hidrogeoquímica
Mapeamento e análise de risco

O Instituto Geológico (IG) em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP), estão selecionando dois jovens pesquisadores, um com experiência em modelagem numérica de fluxo e transporte de contaminantes e hidrogeoquímica das zonas não saturada e saturada dos aquíferos e outro, com experiência em mapeamento e análises de risco. Ambos desenvolverão projetos de pesquisa, com duração máxima de 24 meses, vinculados ao Plano de Desenvolvimento Institucional em Pesquisa (PDIP), em andamento e financiado por esse órgão de fomento. Maiores informações sobre os temas dos referidos projetos e duração, valor das bolsas e documentos necessários são apresentados, ACESSE AQUI